Pessoa com bursite

Bursite: inflamação da bursa

O que é Bursite?

Há uma pequena bolsa que envolve as articulações e amortece os ossos, essa bolsa se chama Bursa. Uma vez que a Bursa se inflama, temos a chamada bursite.

Há, por volta de 70 bursas distribuídas por todo o corpo humano, portanto, é comum que pessoas tenham esse problema em diversas partes do corpo.

Os locais mais comuns de se inflamarem são: Ombros, cotovelos, quadris e joelhos.

Quais os sintomas da bursite?

Dor, inchaço e inflamações são os primeiros sintomas que podem ser percebidos. Todavia, esses sintomas são facilmente confundidos, e é comum que as pessoas se automediquem ao invés de procurar um médico.

Entretanto, com o aumento da inflamação, rigidez e restrições de movimentos também podem surgir.

Quais as causas da bursite?

As causas são geralmente associadas a movimentos cotidianos, como por exemplo sentar por longos períodos em locais desconfortáveis, apoiar os cotovelos por períodos extensos, mas não só isso como traumas e movimentos repetitivos.

Como é feito o tratamento?

O tratamento pode variar entre uso de medicamentos (anti-inflamatórios e relaxantes musculares) e fisioterapia, mas há também casos extremos onde o tratamento exige cirurgia.

Qual é o médico especialista para trato da bursite?

O médico comumente procurado é o Ortopedista, contudo, o médico da dor, é apto para realizar o tratamento.

É possível ter bursite e tendinite?

Sim, por se tratar de uma inflamação específica (Bursa), a bursite pode ser acompanhada de outros quadros como tendinite, artrite, artrose entre outras.

Quem tem bursite pode realizar esportes?

Sim, os exercícios podem até mesmo auxiliar no trato da doença, porém, é necessário um especialista para indicar uma rotina de exercícios que não seja prejudicial á saúde.

Quem sofre desse processo inflamatório, sente muitas dores e um exercício errado pode não só ser doloroso como pode piorar o quadro geral do paciente.

costas

Escoliose: congênita, neuromuscular ou idiopática

O que é escoliose?

A escoliose é uma curvatura anormal da coluna vertebral, que pode ser acompanhada de rotação das vértebras. Entretanto, há três tipos mais frequentes: a congênita, a neuromuscular e a idiopática.

Além das categorias citadas, o grau da doença pode ser medido através do nível de curva da coluna, ou seja, quão angulada é a postura.

A curvatura da escoliose é sempre igual?

Não, como já falamos anteriormente, há diferentes classificações para a doença, porém, a curvatura da coluna também muda, de acordo com o local em que as vértebras rotacionaram.

Como é realizado o diagnóstico da doença?

Geralmente o médico ortopedista percebe os primeiros sinais com exames clínicos (pois a curvatura é visível), contudo, há exames laboratoriais que são mais conclusivos.

Os principais exames que comprovam a doença são a radiografia, a tomografia ou a ressonância.

Quais são os sintomas?

O principal sintoma é físico, pois a pessoa possui uma curva visível na coluna.

O paciente pode sentir dor ou não, o que depende do quadro que esse apresenta.

O que causa a Escoliose?

A escoliose congênita, tem sua causa na má formação óssea ainda em fase gestacional.

A escoliose neuromuscular é causada por problemas de cunho neurológico, como por exemplo paralisia cerebral, distrofia muscular ou espinha bífida.

A idiopática, entretanto, não possui uma causa conhecida ainda.

A escoliose possui tratamentos?

O tratamento geralmente é feito através de cirurgia ou uso de colete cervical.

É comum que pessoas com escoliose sejam direcionadas para fisioterapia.

Qual o médico mais indicado para tratar a escoliose?

O médico responsável é o ortopedista.

Pessoas com essa doença podem realizar exercícios?

Sim, os exercícios podem até mesmo auxiliar no trato da doença, porém, é necessário um especialista para indicar uma rotina de exercícios que não seja prejudicial á saúde.

Um exercício errado pode não só ser doloroso como pode piorar o quadro geral do paciente.

pessoa com tendinite

Tendinite: inflamação dos tendões

O que é tendinite?

Há uma fibra de nome “tendão” que liga um músculo a um osso. Essa fibra pode sofrer uma inflamação, assim caracterizando um quadro de tendinite.

Quais os indícios da tendinite?

O principal sintoma costuma ser a dor, entretanto, essa pode evoluir se não tratada. A dor quando evolui, significa um agravamento do quadro inflamatório, que por fim pode causar espasmos, fadiga, sensação de peso e inchaço.

Por se tratar de uma inflamação, os sintomas podem ser mais fortes durante os períodos de frio, uma vez que os tendões se enrijecem com temperaturas mais baixas.

O que causa a tendinite?

Ossos e músculos possuem grande força e elasticidade respectivamente, todavia, os tendões são facilmente danificados causando a tendinite.

Em suma, a origem da doença pode ser tanto esforço físico contínuo como falta de alongamento ou qualquer outro esforço que leve os tendões a inflamar.

Como é realizado o diagnóstico da tendinite?

O diagnóstico pode ser realizado tanto no próprio consultório, através de testes de estresse ou até mesmo por análise do histórico e exames de palpação. Todavia, há casos em que o diagnóstico pode ser realizado por exames laboratoriais, como por exemplo um ultrassom ou uma ressonância magnética.

Possui algum tipo de tratamento?

De forma geral o tratamento é feito por medicamentos que irão amenizar a dor e fisioterapia que evitará uma nova inflamação. Porém cada caso é único e deve ser avaliado por um especialista.

Qual médico procurar?

O médico mais indicado para o trato da tendinite, é o ortopedista.

Quem possui tendinite, pode realizar atividade física?

Sim, os exercícios podem até mesmo auxiliar no trato da doença, porém, é necessário um especialista para indicar uma rotina de exercícios que não seja prejudicial a saúde.

Quem sofre desse processo inflamatório, sente muitas dores e um exercício errado pode não só ser doloroso como pode piorar o quadro geral do paciente.