Sindrome do ovário policistico

SOP: Síndrome do ovário policístico

O que é essa a síndrome do ovário policistico?

Os ovários são responsáveis por produzir hormônios e armazenar óvulos. Uma vez que os ovários passam a criar cistos, temos a chamada síndrome do ovário policístico (SOP).

Os cistos surgem em decorrência do aumento do nível de hormônios masculinos (testosterona) no corpo da mulher. Vale dizer que todas as mulheres possuem um pouco de testosterona, porém, em pacientes com a síndrome, os níveis são elevados.

Quais os sintomas da síndrome do ovário policistico?

O sintoma mais fácil de se notar é a menstruação desregular ou quase inexistente. Mas, apesar disso, acne, obesidade, infertilidade e pelos em demasia são comuns também.  

Problemas que surgem junto:

Assim como diversas doenças, o problema não é isolado, ou seja, pacientes com a síndrome do ovário policístico são propensas a ter obesidade, colesterol e diabetes com maior facilidade.

A infertilidade também pode vir junto como mais um desafio a ser enfrentado pela paciente.

Diagnosticando os cistos

O diagnóstico requer exames laboratoriais como o ultrassom. O exame busca folículos no ovário, portanto, deve ser realizado entre o terceiro e quinto dia de menstruação.

Mulheres que apresentem folículos sem desordens de ovulação ou hiperandrogenismo, não são consideras pacientes com SOP.

Para auxiliar o diagnóstico, é importante que a paciente mantenha anotado o histórico de seu ciclo menstrual.

O que causa essa doença?

A causa é desconhecida, todavia sabe-se que pode haver uma predisposição genética para a doença.

Qual o tratamento da síndrome do ovário policístico?

O tratamento geralmente é feito através de medicamentos. Em casos que sejam mais graves ou prejudiciais á saúde da mulher, o médico pode realizar uma cirurgia de remoção dos cistos ou do ovário.

Manter uma boa dieta e uma rotina de exercícios, também fazem parte da regulação hormonal.

Qual médico procurar para tratar a síndrome do ovário policistico?

A princípio, o ginecologista será o médico que irá diagnosticar a doença (por se tratar de uma irregularidade no sistema reprodutor feminino), todavia, por ser uma doença causada por fatores hormonais, o endocrinologista também auxilia o tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>