mulher com gastrite

Gastrite: Não ignore os sintomas

O que é gastrite?

A gastrite é a inflamação ou infecção da mucosa interna do estômago. O problema no entanto, pode ser agudo (surge de vez em quando e de forma repentina), ou crônico (quando a inflamação requer mais tempo para ser controlada e os sintomas persistem por mais tempo).

Há mais de um tipo, sendo que pode ocasionar a inflamação de parte da mucosa estomacal ou toda ela.

A inflamação também varia em seu nível de agressividade, ou seja, pode ser leve ou chegar a destruir parte do revestimento interno do estômago, causando até mesmo úlceras e sangramentos.

Quais as causas da gastrite?

De maneira geral a causa é a baixa eficiência da barreira da mucosa que envolve a parede estomacal, contudo, há bactérias e vírus (Helicobacter pylori por exemplo), que são causadores comuns de gastrite.

Assim como diversas outras doenças, existem fatores que contribuem para o desenvolvimento da gastrite, dentre eles os mais comuns são o uso de medicação recorrente (principalmente anti-inflamatórios), o alcoolismo e o estresse.

Quais os sintomas da gastrite?

Por vezes alimentos gordurosos e industrializados podem causar a maioria dos sintomas da gastrite, por isso é necessário entender sua rotina alimentar e procurar um especialista ao sinal de um ou mais sintomas.

A queimação no estômago é, de maneira geral, o sintoma mais perceptível em curto prazo, por incomoda muito o paciente.

Juntamente com isso, é possível que o paciente apresente náuseas, dores abdominais, indigestão e perda de apetite, todavia, em casos mais graves (com sangramentos), é possível observar fezes escuras ou vômito com sangue.

Como é feito o diagnóstico da gastrite?

O método mais comum nos dias de hoje é o exame laboratorial denominado Endoscopia.

Qual médico procurar para tratar a gastrite?

Em suma, por se tratar de um problema do trato digestivo, o profissional indicado é o gastro.

Existe algum tratamento para a gastrite?

Sim, apesar de não haver cura, o tratamento realizado com uso de medicação vem se mostrando cada vez mais efetivo.

Em casos leves (sem presença de vírus ou bactérias), os medicamentos indicados podem apenas minimizar os sintomas, cabendo ao paciente realizar uma reeducação alimentar para que o problema seja sanado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>